In Literatura

As ovelhas elétricas, magras e radioativas de Philip K. Dick

Bizarro é você ver o título de um livro e ficar se perguntando de onde saiu o nome dele. Eu já tinha visto Androides Sonham com Ovelhas Elétricas? pelas livrarias, mas nunca bateu a curiosidade em ler. Não que a sinopse do livro fosse instigar mais a minha curiosidade do que o próprio título. Mas é que o título, por si, já é bem intrigante, e fiquei pensando: “Que diabo é isso?

>> Ovelhas magras
>> Religião
>> Empatia
>> As dúvidas ficam

Põe os fones de ouvido e se prepara pra uma viagem bem psicodélica, que o bagulho aqui é bem forte.

Eu só sabia que precisava ler esse negócio. E olha, eu só soube que ele serviu de base para o filme Blade Runner quando recebi o livro e tinha uma faixa nele dizendo “o livro que inspirou o filme”. Eu nunca vi Blade Runner pelo simples motivo de nunca ter me parecido muito interessante, então fui impactado num total de 0% pelas campanhas de divulgação do novo filme desse universo, o Blade Runner 2049, porque, sinceramente, eu nem sabia do que se tratava. Foi mal…

. Então eu fui lendo e fiquei surpreso em saber que não é apenas um conto envolvendo tecnologia. Tem pencas de espiritualidade, filosofia, existencialismo, drogas sintéticas e aquelas famigeradas condições inabitáveis da Terra e sua poeira radioativa. E isso é interessante porque é exatamente o conjunto de características que eu penso existir num conto de ficção científica. Não basta ser distópico, todo torto e engembrado, amarrado com nós fracos, tem que ser denso e carregado de simbologias.

Ovelhas magras

O escritor estadunidense Philip K. Dick lançou Androides Sonham com Ovelhas Elétricas? (Do androids dream of electric sheep?) em 1968, mas a obra só chegou ao Brasil em 1989, e foi relançado pela Editora Aleph em 2014. Nele, após guerra de proporções mundiais, uma poeira radioativa se espalhou no planeta, liquidando inúmeras espécies de seres. Boa parte da humanidade migrou para Marte, e muitos continuam sobrevivendo na Terra, mas alguns são afetados pela Poeira e são chamados de Especiais, ou “cabeças de galinha”. No maior estilo “Brasil: ame-o ou deixe-o”, a população terrestre é instigada a abandonar o planeta com campanhas do tipo

Emigre ou degenere! A escolha é sua!

Pela raridade, os animais se tornaram símbolo de riqueza e status social, e Rick Deckard possui uma ovelha, mas uma ovelha mecânica, e admitir isso para os vizinhos seria uma completa vergonha! Rick é um caçador de recompensas responsável por aposentar androides infratores (ou eliminar assim como as diretrizes do governo de Temer para a aposentadoria do povo brasileiro) e fica encarregado de lidar com 6 androides/andys fugidos de Marte após seu colega Dave falhar na missão de aposentar 8 robôs da linha Nexus-6, tendo sido atingido por um laser pelo 3º dessa lista.

A Associação Rosen é a empresa responsável pela fabricação dos andys, inclusive do modelo mais recente e avançado, o Nexus-6, que em tudo se assemelha a uma pessoa: a detecção de sua “artificialidade” seria feita apenas com análise da medula. Acontece que ela se exime da responsabilidade em recolher os seus produtos por afirmarem que estão em funcionamento pleno e estável. Cabe a Rick, então, o dever de encontrá-los e eliminá-los.

A história de Rick Deckard na trama policial de caça pelos androides fugidos de Marte é o centro da trama. Apesar disso, eu consideraria o plot apenas como uma desculpa para que outras questões fluam à beira da página e o leitor capte a importância desses detalhes. São, por exemplo, a espiritualidade e o existencialismo, que poderiam até ter recebido mais destaque, porque foi exatamente onde eu fiquei grudado.

Religião

Sobre a espiritualidade, Philip K. Dick nos apresenta ao Mercerismo, uma espécie de culto virtualizado no qual a pessoa ativa um aparelho tocando em joysticks e olhando para o vídeo numa tela. O vídeo, totalmente imersivo, mostra um homem, Mercer, subindo uma colina e sendo apedrejado no caminho. Eventualmente, quem assiste ao messias na sua subida também acaba sendo atingido pelas pedras lançadas.

A confusão com essa religião acontece quando J.R. Isidore, um Especial, e Rick Deckard experimentam um contato físico com Mercer, e esse contato não tem nada de místico ou espiritual. Parece bem mais fantasioso, como fruto de uma alucinação. Ao final, não entendi um pouco direito, ficou travado demais e, particularmente, não pude me sentir imerso nesse aspecto. O que me parece é que, enfim, Rick foi atingido pela Poeira e sofreu alguma alucinação realística.

Empatia

Quanto ao existencialismo, isso sim me deu um nó no cérebro! O nosso caçador de recompensas usa a escala Voigt-Kampff para detectar o nível de empatia de alguém e diferenciar humanos de andys. Neste teste, algumas situações são apresentadas ao entrevistado (a maioria envolvendo animais, a maioria extintos) e, com o auxílio de um aparelho, são medidos os reflexos fisiológicos. Quanto menos o indivíduo se importar com outro ser vivo, maior a probabilidade de ser um robô.

A edição da Aleph possui alguns extras, como a última entrevista de Philip.

Mas, e um humano, como ele saberia que não é um deles? A dúvida é explorada pelo autor na persona de Rick e de Phil Resch, outro caçador de recompensas. Durante algum tempo, Phil permanece com a dúvida: será que ele é humano ou só mais um androide com ações programadas? E não basta justificar que ele tem vivência e memórias porque, como bem questionou a cantora androide Luba Luft:

Talvez seja uma memória falsa. Os androides não saem por aí com memórias falsas de vez em quando?” – p. 105

E se isso não é um pouco Black Mirror, eu não sei o que é. Aliás, vamos ser justos: isso é muito Westworld! Estar no limbo entre a humanidade e a mecanicidade automática é símbolo desta obra de Philip K. Dick. Essas dúvidas pairam não só ao redor de Rick, mas também encontra o leitor, que não sabe como prever o resultado da Voigt-Kampff em tantas situações diferentes.

As dúvidas ficam

São várias as questões que ficam sem respostas. Uma delas é o próprio título: Androides sonham com ovelhas elétricas? Porque se sonham, é sinal de que eles são capazes de ter empatia pela sua própria espécie: a dos seres mecânicos animados. E, se fica claro que humanos também podem ter empatia por robôs, não haveria impedimento de que a geração Nexus-7 também tenha consideração por seres vivos, sejam humanos ou animais.

E a segunda grande pergunta é: até que ponto a Associação Rosen vai melhorar os seus produtos? Eles já são humanoides o suficiente para serem confundidos com humanos reais. Como um andy que acha ser um humano reagiria ao saber que é um objeto mecânico? Como o Nexus-7 poderia ser detectado no meio do convívio social?

Bem que eu iria gostar de ter uma perspectiva mais intrigante de um andy que não sabe que é um objeto mecânico. Entretanto, é cruel perceber como a humanidade lida com o androide. Ainda que pareçam ser a nova mão de obra barata, eles sonham em se aproximar do patamar humano de cultura, assimilam questões sociais e traduzem-nas para benefício de sua própria “espécie”. Eles até experimentam drogas alucinógenas para tentar conquistar um ambiente metafísico e espiritual que se equipare ao mercerismo.

No fim das contas, eles não parecem apenas animados. Os androides estão vivos.

De qualquer jeito é um risco, libertar-se e vir para a Terra, onde não somos sequer considerados animais. Onde cada minhoca ou tatuzinho de jardim é considerado mais desejável do que todos nós juntos. – p. 123

Já comentei desse livro aqui no Desfalk, mas queria explorar mais os assuntos desse livro. Ovelhas Elétricas levou 4 oclinhos, e ainda vale muita discussão sobre ele. Inclusive sobre adaptação, né?

Título original: Do Androids Dream with Electric Sheep?
Edição de 2014 da editora Aleph
ISBN: 9788576571605
272 páginas
Skoob | Goodreads
Onde encontrar: Amazon BR

***

PS: Só eu achei coincidência demais que Nexus também seja a linha de smartphones da Google a brigar no mercado entre os aparelhos de melhor desempenho? O Nexus 6 foi o lançamento de 2016 e recebeu todas as atualizações mais recentes do Android. Inclusive os serviços de inteligência artificial. Bitches better beware

COMENTE AQUI!

, , , , ,

Comente aqui!