In Listas

1 livro, 1 HQ e 1 documentário em financiamento coletivo

Empreender é uma decisão bastante significativa na vida de qualquer um. Atrelar esse desejo em independência a um projeto pessoal ainda é um pensamento pouco explorado por nós, quase um dom. O modelo tradicional do mercado nos é empurrado goela abaixo e sair desse ciclo é, no mínimo, uma barra. Uma dessas saídas é o crowdfunding, ou financiamento coletivo.

Aqui em Fortaleza, o crowdfunding ainda engatinha, mas já temos bons exemplos da trajetória desse modelo colaborativo de negócios. Em 2015, Danilo Castro lançou o seu Do teatro que temos ao teatro que queremos, que conta e valoriza a resistência do teatro de grupo no Ceará desde os anos 1980. Também em 2015, nasceu Auri, a anfitriã, de Aline Moura e Bárbara Almeida, fruto de um TCC premiado que rodou algumas cidades do Brasil no qual Auri, referente ao Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa, fala de algumas de suas “hóspedes”, as mulheres em reclusão de liberdade.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E essas obras reverberam e permanecem vivas, ganhando leitores por aí, justamente porque são livros que não ficam parados na estante. Alguns desses trabalhos até ganham uma reedição, como o próprio Auri, relançado pela Edições UFC em 2016.

E ainda temos aí algumas empresas que passaram a adotar o financiamento coletivo como política de produção. Em momentos nos quais editoras e livrarias consideram cada vez mais produzir sob demanda, podemos considerar um baita acerto as editoras que não só adotam projetos de financiamento já em curso, mas que também lançam os seus próprios trabalhos para serem financiados pelo público interessado.

É o caso da Editora Wish, que apostou no terceiro livro Fisheye, da escritora cearense Kamile Girão (já comentado aqui no blog). Fisheye teve um financiamento bastante promissor e bateu a meta, que era de R$ 3.277,00 e atingiu R$ 4.482,00 entre dezembro de 2016 e fevereiro de 2017. Hoje, a Wish comercializa o livro em seu site aqui.

Outro projeto da Wish é o Contos de Fadas Originais, que encerra financiamento nesta segunda-feira, 15/05. Este crowdfunding tem foco no terceiro volume dos contos, que traz as versões originais de A Bela e a Fera, O Soldadinho de Chumbo, O Príncipe Sapo, João e o Pé de Feijão e vários outros contos traduzidos diretamente do texto original, para não perder nada durante as traduções.

A meta de Contos de Fadas Originais já foi batida, mas vai ficar aberto até as 23h59min deste dia 15/05. Depois disso, é esperar que a editora mantenha ele à venda no site, como está fazendo com Fisheye. Além desse, também tem outros projetos absurdamente legais com financiamento em aberto pra gente prestar atenção. Olha aqui alguns:

Literatura: Araruama – O Livro das Sementes

Criação de Ian Fraser, Araruama é a fantasia com mais raiz brasileira que poderia existir. Valorizando e enaltecendo diversas culturas indígenas da América Latina (sim!, ele não menciona só Tupi-Guarani), o autor constrói não só uma narrativa, mas também uma mitologia com esse nicho brasileiro tão pouco explorado. Pra conhecer, pra se maravilhar e se encantar, vale a pena saborear a criação de Ian Fraser.

Clique aqui e ajude a financiar Araruama – O Livro das Sementes

Graphic novel Bipolar

Esse aqui eu vi de relance e me encantei pela ilustração. Ficção científica e espionagem cercam o mundo no qual Charlie vive. O pai dela morreu de forma bem misteriosa e ela não tem detalhe algum de como aconteceu, principalmente porque a circunstância virou segredo de Estado. Nesse mundo de 2045, a população se divide entre União Ocidental e Governo Popular Oriental e uma corrida de interesses inicia quando um objeto misterioso é encontrado próximo à fronteira, cabendo à Charlie desvendar o segredo desse artefato.

Clique aqui e ajude a financia Bipolar

Documentário: Narizes do Plantão

Já viram aquela galera que chega vestida de palhaço nos hospitais infantis, alegrando a criançada? Pronto. O Narizes de Plantão é um projeto que treina estudantes da área de saúde pra que eles apliquem o método do clown com seus pacientes, assim como em suas vidas particulares. Até hoje foram mais de 35 mil atendimentos feitos nesse formato, e é um diferencial e tanto. Ser criança e ficar enclausurada num ambiente clínico e esterilizado não é nada agradável. Vale demais espalhar esse sorriso.

Clique aqui e ajude a financiar Narizes de Plantão

***

Garanto que é uma sensação linda saber que você está investindo num trabalho cheio de amor e dedicação. Você recebe o resultado desses projetos não só como um produto comprado, mas como uma mão-de-obra financiada. É bem diferente, viu? Só quem tem m projeto guardadinho e muita vontade em executar, sabe como é importante sentir a aprovação de outras pessoas. Vai que um dia é a gente que tá do lado de lá?!

Compartilhe:

, , , , , , , ,

Deixe uma resposta