In Literatura

Lendo mais, lendo menos, livros lidos, livros por ler

Nunca achei que eu fosse referência pra porra alguma. Tem uma coisa da autoestima que me pegou desde muito cedo e ainda não aprendi a lidar com a aprovação dos outros. Com a rejeição, tem muita gente como eu que já sabe exatamente como agir. Mas a aprovação desconcerta, aflora a timidez que você conseguiu esconder lá no fundinho. Ainda me falta um bocado pra saber lidar com aprovação, e só agora eu sei o quanto, depois que me perguntaram, pela primeira vez, como eu conseguia ler tanto.

Livros de abril
Livros de maio
Para ler em junho

Tenho tentado me organizar pra ler um livro por semana. Não é isso que acontece na prática, porque eu misturo livros, intercalo leituras e vou assim, nesse zigue-zague, transitando de um mundo a outro. Dessa forma, acabo deixando o lado humaninhas de lado e boto as exatas pra funcionar: calculo o tanto de páginas de pelo menos 4 livros, separo a quantidade por dias no mês e vejo no que dá. Tento seguir à risca essa estimativa de páginas por dia, é a única forma como consigo controlar o tanto que leio.

Chego a ser ingênuo de achar que vou ler tanto quanto a Tatiana Feltrin ou a Mayra Sigwalt (All About That Book). Mas não faz mal, porque tenho elas como parâmetro. Tem gente que lê só 1 livro por mês, tem quem leia 1 livro por ano, e tem aquela pessoa que voa nas páginas e lê 1 livro por dia! E não faz mal ter um ritmo de leitura vagaroso, o importante é aproveitar o momento e relaxar do cotidiano tendo foco em uma atividade de pura imersão. Então, acaba que fico bem feliz com os meus 7 livros lidos em abril e maio.

Abril

Eu sei. Prometi lá no Instagram (oi, me segue, @desfalkblog) que leria 5 livros em abril. Tentei me organizar pra terminar as leituras de Lágrimas na Chuva, da Rosa Montero, e de A Noiva Fantasma, da Yangsze Choo. Só que eu, na minha insana esperança, me botei a querer ler também Frankenstein, da Mary Shelley (na edição espetacular da DarkSide Books), Harry Potter e o Cálice de Fogo na língua mãe da J. K. Rowling, The Kiss of Deception, da Mary E. Pearson, e O Homem do Castelo Alto, do Philip K. Dick.

O quê que houve de lá pra cá? Tudo: aulas, trabalhos, problemas, imprevistos, eventos — a vida aconteceu, né? Aconteceu também a Bienal do Livro do Ceará de 14 a 23 de abril, à qual compareci em surpreendentes 4 dias. E nem foi pra trabalhar (quem dera fosse! Me chama AD2M…) Esperei que o evento pudesse render algumas boas pautas, aquela coisa menos jornalística, menos factualidade e mais reflexão. Mas querer não é poder. Vida que segue. No fim das contas, tendo conhecido muita coisa nova, li o quê:

A Noiva Fantasma
de Yangsze Choo

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foi bonito, foi. Foi intenso, foi. Mas não cativou por completo. Ele já apareceu por aqui no post A Festa dos Mortos de Yangsze Choo e nele comentei detalhadamente pontos positivos  e negativos da estória. A Noiva Fantasma é uma fantasia dark e transita entre realidade histórica e folclore. É uma leitura extremamente rica em elementos da cultura oriental, essencialmente da chinesa, mas peca na hora de transmitir consistência da personagem principal. É o clássico “instiga, mas não conclui”.

A Noiva Fantasma
Edição de 2015 da DarkSide Books
Skoob | Goodreads
Onde encontrar: Amazon BR

Lágrimas na Chuva
de Rosa Montero

Outro bom-mediano. No início, passa a impressão de um livro extremamente rico em detalhes. Entretanto, com tantas informações, acaba obscurecendo a personagem principal, à qual não conhecemos muito bem justamente por conta da descrição minuciosa dessa realidade futurística. Lágrimas na Chuva é uma ficção científica super bacana, que em vários momentos lembra Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?, do Philip K. Dick, mas assume outra personalidade, mais densa e mais política. Ainda vai render um artigo mais exploratório sobre ele aqui no Desfalk.

Lágrimas na Chuva
Edição de 2014 da Nova Fronteira
Skoob | Goodreads
Onde encontrar: Amazon BR

Harry Potter e o Cálice de Fogo
de J. K. Rowling

Uma releitura, e que releitura, meus amigos! Cálice de Fogo foi o meu primeiro contato com a literatura de Harry Potter. Não dá pra não ser nostálgico! Na 3ª leitura que faço desse livro, li em inglês, o que deu outro aspecto a esse mundo. J. K. Rowling, mais uma vez (e já começo a achar que faz parte do método de escrita dela) propõe a narrativa circular, na qual ações que iniciaram no começo, voltam ao final. E a releitura abre outro leque de informações a serem fisgadas ao longo do caminho, exatamente como em O Prisioneiro de Azkaban. Essa leitura fez parte do projeto Lendo 12 livros da J. K. Rowling, no qual leio, pelo menos, 1 livro da autora por mês em 2017.

Harry Potter and the Goblet of Fire
Edição de 2000 da Scholastic
Skoob | Goodreads
Onde encontrar: Amazon BR

Hogwarts – Um guia imperfeito e impreciso
de J. K. Rowling

Li O Prisioneiro de Azkaban em março. O Vira-Tempo está mega fresco na minha mente. Ver a estória que Dona Rowling criou para esse objeto mágico nesse ebook me fez querer vomitar. VOMITAR. É tosco e desrespeitoso que ela queira fazer os fãs engolirem o que foi exposto na peça/roteiro Criança Amaldiçoada em relação ao Vira-Tempo. Não me desce, quebra tudo que foi estabelecido com O Prisioneiro de Azkaban. O ebook não é interessante e não acrescenta em nada à experiência de imersão no mundo mágico. Estratégia pra arrecadar grana pro Pottermore. Só isso. Decepção define. Ainda bem que saiu de graça na Amazon

Hogwarts – Um guia imperfeito e impreciso
Edição de 2016 do Pottermore
Skoob | Goodreads
Onde encontrar: Amazon BR.

Maio

Pra maio, eu já tinha em mente o que queria ler e estava mega empolgado por isso. Não peguei Frankenstein nem O Homem do Castelo Alto, não me instiguei de fato a lê-los. Mas veio, enfim, The Kiss of Deception, Abominação e Fisheye. Iniciei Bento, do André Vianco, parte da saga O Vampiro-Rei, e vou lendo aos poucos, assim como As Boas Mulheres da China, da Xinran (que leitura difícil, minha gente!)

The Kiss of Deception
de Mary E. Pearson

Este slideshow necessita de JavaScript.

Há quanto tempo eu ansiava por começar Crônicas de Amor e Ódio! Queria mesmo ler em inglês, porque venho tentando aprimorar e manter o idioma ativo no meu cotidiano. Mas não aguentei quando entrou numa promoção muito boa. Foi uma leitura rápida, imersiva, surpreendente e instigante. Os personagens são incríveis, cativantes e mega aprofundados — da protagonista aos antagonistas, todos encantam. Definitivamente, minha leitura preferida dos meses de abril e maio. Mais impressões sobre ele no post Mulher, fantasia e inconformidade em The Kiss of Deception.

The Kiss of Deception
Edição de 2016 da DarkSide Books
Skoob | Goodreads
Onde encontrar: Amazon BR

Abominação
de Gary Whitta

Este slideshow necessita de JavaScript.

A edição desse livro é descrita em uma palavra: impecável. Cedido em parceria com a editora, é sem dúvidas um dos livros mais bonitos da minha estante e o mais detalhado e melhor trabalhado da DarkSide Books, entre os que possuo (Frankenstein também é absurdo de lindo, mas não vi todo o trabalho por dentro). A estória é muito boa, instigante e percebe-se como bastante roteirizada: resquícios de toda experiência de cinema que o autor possui. É super bacana pra um romance de estreia de Gary, entretem que é uma beleza, mas não conclui com perfeição e deixa questionamentos sem resposta. Também tem crítica dele aqui no Desfalk no post Abominação, blasfêmia e bruxaria na estreia de Gary Whitta.

Abominação
Edição de 2017 da DarkSide Books
Skoob | Goodreads
Onde encontrar: Amazon BR

Fisheye
de Kamile Girão

Esse livro tem história, já falei dele outras vezes por aqui. Fruto de financiamento coletivo da escritora Kamile Girão e publicado pela editora Wish, Fisheye explora a vida de Ravena, uma adolescente às vias do vestibular que descobre conviver com retinose pigmentar, doença que degenera a visão da garota gradativamente. A leitura é agradável e instigante, não se prende a cliffhangers que obriga o leitor a continuar lendo sem pausa (tem gente que acha isso positivo, eu não.) Foi uma grande surpresa, assim como The Kiss of Deception, porque ambos usam narrativa em 1ª pessoa com uma maestria sensacional, e eu fujo disso por ser um recurso constantemente mal aplicado e com boas doses de monotonia. Logo logo sai resenha de Fisheye por aqui.

Fisheye
Edição de 2017 da Wish
Skoob | Goodreads
Onde encontrar: Wish e Kamile Girão.

Para ler em junho

Aulas e trabalhos se somam pela frente, então não vou ser nem doido de separar mais de 3 livros pra ler em junho. Já comecei a ler Contos Completos, de Liev Tolstói, e vou ler em torno de 3 contos por semana do primeiro volume na edição da Cosac Naify. Ao mesmo tempo, seguem aí as leituras de A Guerra que Salvou a Minha Vida, de Kimberly Brubaker Bradley, cedido pela DarkSide como brinde pela parceria; e também no tema de guerra, lerei A Guerra Não Tem Rosto de Mulher, da nobelzada Svetlana Aleksiévitch, explorando a literatura russa, em ocasião do centenário da Revolução Russa. No mais: aguardem as cenas dos próximos capítulos.

 

COMENTE AQUI!

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Comente aqui!