In Cultura, Literatura

Er Lang: Seiryu e mitologia oriental em A Noiva Fantasma

Tem pouco tempo que li A Noiva Fantasma. A autora, Yangsze Choo, é de origem malaia, mas é radicada nos Estados Unidos. Dessa forma, a bagagem de cultura oriental que ela traz pra literatura é extremamente significante. A Noiva Fantasma é totalmente influenciado pela percepção chinesa do “submundo”, inferno e paraíso, a existência no além. O livro já teve resenha crítica por aqui, só clicar no link:

>> A festa dos mortos de Yangsze Choo

Pra quem não leu esse livro, publicado pela DarkSide Books em 2015 sob o selo DarkLove, eu dou uma sinopse: o ano é 1893, em Malaia (atual Malásia e Cingapura), e Li Lan é interpelada pelo pai sobre se casar com um fantasma. Só a sugestão é considerada absurda por Li Lan, até que ela começa a receber visitas de um morto em seus sonhos. O espírito pertenceu a um rapaz de família rica e influente e o casamento seria a solução para vários problemas do pai de Li Lan. Mas a menina não se deixa levar e toma as rédeas do seu próprio destino se aventurando pelo mundo dos mortos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pronto, essa é a premissa, uma garota que vai narrar sua experiência extrassensorial, fora de seu corpo. No meio dessa narrativa, vários elementos históricos e culturais são jogados para o leitor. Entre eles, alguns se destacaram. Mas venho falar especificamente de um deles: o personagem que atende pelo nome de Er Lang.

Er Lang

Certa vez, questionada se haveria uma continuação de A Noiva Fantasma, a escritora Yangsze Choo disse que não considerava, que estava envolvida em outro projeto desvinculado de seu primeiro romance. Entretanto, ela conta que acharia interessante desenvolver uma narrativa para Er Lang, um personagem de grande importância na estória.

Er Lang se transformou, sua forma contorcendo-se e serpenteando entre meus dedos. Eu já não podia mais me agarrar a ele. Escamas suaves deslizaram por minhas mãos, seu corpo grande demais para que eu pudesse segurar.” – p. 262

Er Lang é uma das entidades que Li Lan encontra pela sua jornada no mundo dos mortos. Ele ajuda a garota em várias situações, tem aquele papel de deus ex machina. Deus ex machina significa literalmente “Deus surgido da máquina”, uma expressão que teve origem no teatro grego em situações que um ator interpretando um deus surgia no palco, içado por uma corda, e oferecia uma solução mágica pra toda a trama. Ou seja: quando tudo tá dando errado, ele surge e entrega uma solução rápida e improvável ao problema.

Quando criança, muitas vezes eu ouvira histórias sobre os loong: grandes senhores que controlavam a chuva e os mares. Às vezes, apareciam como criaturas magníficas, outras vezes eram homens majestosos e mulheres belíssimas.” – p. 271

Nessa estória, Er Lang é um metamorfo. Primeiro, ele surge como um homem misterioso, cercado de uma aura mística. A sedução é imediata. Não no sentido erótico, mas o encanto é repentino: se você tá no maior aperto da sua vida e ninguém te ajuda, quando um estranho oferece auxílio, primeiro você estranha e depois faz o quê? Agradece e nasce a simpatia. (Ainda mais se for um pão de pessoa!) Mas e aí? Já adivinhou o que é o Er Lang?

Vi um resplendor de pérolas, milhares de lâminas lisas e encadeadas umas às outras, então uma cabeça gigantesca, olhos incandescentes e dentes reluzindo em uma mandíbula barbada.” – p. 262

Um dragão. Er Lang é uma entidade extremamente presente nas culturas orientais. Loong ou long na China, ryong nas Coréias, ryu no Japão. No fim de A Noiva Fantasma tem algumas notas sobre o livro e Yangsze Choo cita o personagem e a sua presença em outros produtos culturais da China. São várias as divindades que trazem uma bagagem de justiça e benevolência aos necessitados, mas Er Lang é, no mínimo, especial.

Er Lang é uma deidade menor que aparece em várias histórias diferentes. Em alguns casos, ele é um humano que se torna divino por conta de sua piedade filial.” – p.342

Aparições do loong

Na China, existe o mito dos Quatro Deuses Celestiais (Si Chiang): Suzaku, Genbu, Byakko e Seiryu. Este último, Seiryu, ou Qing Long, é representado por um dragão. Seu símbolo caracteriza, força, poderio militar, autoridade e realeza. Por estar ligado à primavera e às águas e o mar, é representado principalmente nas cores verde ou azul. No Portal dos Mitos, você pode entender direitinho o que são e o que representam cada um dos Deuses Celestiais.

Consigo pensar bem rápido em casos de entretenimento que trazem uma metáfora pra essa entidade, o loong, ou que se baseiam no dragão chinês, de uma forma geral. Vamos a eles:

A Viagem de Chihiro: Haku

A Viagem de Chihiro (2001) não se assemelha de A Noiva Fantasma somente pelo tema. Ou você ainda tem dúvidas de que se trata de uma viagem espiritual?! O nome em inglês já entrega tudo: Spirited Away. Ainda que a animação seja de origem japonesa, trazido à vida pelo incrível Miyazaki, o princípio do loong é o mesmo.

Haku é o dragão da estória. E tem uma transformação tão impressionante quanto a de Er Lang. Chihiro recebe ajuda de Haku em vários momentos, tanto na forma humana da entidade quanto em sua forma original de dragão. A semelhança também é próxima num momento crítico de perda de energia, mas isso aqui já é spoiler demais, né?

Cavaleiros do Zodíaco: Shiryu

Quem não lembra do incrível golpe Cólera do Dragão? Shiryu é um dos personagens entre os Cavaleiros que acho mais interessante. Cego (pelo menos lá na primeira saga), nascido no Japão, treinado em técnicas chinesas e numa eterna batalha interior de aceitação e conformidade com os fatos da vida.

Sua primeira armadura, a de Bronze, é a armadura do Dragão, e o personagem também possui um dragão verde tatuado nas costas. Em seu treinamento, está sempre próximo de uma cachoeira, e seu principal desafio é reverter o curso da cachoeira com a força e a técnica do seu principal golpe, a Cólera do Dragão. Bem próximo do Deus Celestial Seiryu, né? Até o nome é parecido…

Digimon: Qinglongmon

No mundo de Digimon, existem os Quatro Grandes Dragões ou as Quatro Bestas Sagradas, que se ligam diretamente aos Quatro Deuses Celestiais da cultura chinesa. Entre eles, está Qinglongmon, ou Azulongmon, que podemos relacionar diretamente com Qing Long, ou Seiryu, o Rei Dragão do Mar do Leste.

Mais uma vez, ele tem todas as características do dragão sagrado chinês. O personagem aparece em Digimon Adventure 2, Digimon Tamers e Digimon-Tri. Sua aparição no anime sempre é acompanhado de um céu tempestuoso, nuvens, trovões e chuva. Água e controle do clima são outros indícios do Seiryu.

Boas referências

Não fui lá muito fã da escrita da Yangsze Choo. Mas eu fiquei absurdamente encantado pela amplitude de referências que ela foi capaz de entregar aos leitores. Além da premissa do mundo dos mortos, Er Lang é apenas mais um desses elementos essencialmente chineses em A Noiva Fantasma. Se a gente observa direitinho, tem muito mais por trás que dá pra gente aprender sobre mitologia oriental e ainda comparar com outras obras.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Noiva Fantasma
Título original: The Ghost Bride
Edição de 2015 da DarkSide Books
ISBN: 9788566636277
360 páginas
Skoob | Goodreads
Onde encontrar: Amazon BR

***

Para outros conteúdos da DarkSide Books, clique aqui.

Compartilhe:

, , , , , , , ,

Deixe uma resposta